sábado, 27 de agosto de 2011

Ben Carson e a Educação dos Filhos

O trabalho mais importante é a educação dos filhos
A maneira mais simples de dizer isso: eu acredito na minha mãe
Dr. Benjamin Carson
Minha crença começou quando eu era apenas um garoto.  Eu sonhava tornar-me um médico.  Minha mãe era empregada doméstica.  No seu trabalho ela observou que pessoas bem-sucedidas gastavam mais tempo lendo do que vendo televisão.  Ela avisou a meu irmão e a mim que, durante a semana, só poderíamos assistir 2 a 3 programas de TV pre-selecionados.

Com nosso tempo livre, tínhamos que ler 2 livros, cada um de nós, emprestados na Biblioteca Pública de Detroit.  Depois deveríamos entregar, por escrito, relatórios sobre esses livros.  Ela marcava os textos, sublinhando e destacando. Anos depois, percebemos que essas marcações eram um recurso que usava para nos estimular na leitura.  Minha mãe era analfabeta; ela só pôde estudar até a terceira série.

Embora não tivéssemos dinheiro, entre as capas daqueles livros, eu podia ir a qualquer lugar, fazer qualquer coisa e ser qualquer um.  Quando entrei para o ensino médio, eu era um aluno nota dez, mas não por muito tempo.  Eu queria roupas da moda.  Eu queria sair com os caras.  Deixei de ser um estudante excelente e me tornei medíocre, mas eu não me importava.  Eu estava enturmado, eu era legal.

Uma noite minha mãe chegou em casa de seus múltiplos trabalhos e eu reclamei que não tinha suficientes camisetas italianas.  Ela disse: "Tudo bem, eu te dou todo o dinheiro que ganhar esta semana esfregando o chão e lavando banheiros.  Você compra comida e paga as contas.  Com o dinheiro que sobrar, você pode comprar quantas camisas italianas quiser."

Fiquei muito satisfeito com esse acordo, mas, depois que eu dividi o dinheiro, não sobrou nada.  Percebi que minha mãe era um gênio financeiro por ser capaz de manter um teto sobre nossa cabeça, botar alguma comida na mesa e, além disso, conseguir comprar roupas.

Também percebi que gratificação imediata não ia me levar a lugar algum.  Sucesso requer preparação intelectual.  Voltei aos meus estudos e me tornei um aluno nota dez de novo e, eventualmente, realizei meu desejo e me tornei médico.

Através dos anos, a firmeza da fé que minha mãe tinha em Deus me inspirou, particularmente quando eu tinha que realizar cirurgias extremamente difíceis ou quando eu mesmo temi pela minha saúde.

Alguns anos atrás descobri que estava com uma forma agressiva de câncer da próstata,  Disseram-me que podia ter se espalhado pela coluna.  Minha mãe ficou firme em sua fé em Deus.  Nunca se atormentou.  Ela disse que Deus ainda tinha planos para mim, não havia possibilidade de que isso fosse um problema mais grave.  A anormalidade na minha espinha dorsal revelou-se benigna.  Fui operado e estou curado.

Minha história, na verdade, é a história de minha mãe - uma mulher com pouca educação formal ou bens materiais - que usou sua posição materna para mudar a vida de muitas pessoas em todo o mundo.  Não há trabalho mais importante do que a educação dos filhos.  Nisto eu acredito.

O dr. Benjamin Carson é diretor de neurocirurgia pediátrica no Centro de Crianças do Hospital John Hopkins.  Sua especialidade inclui separar gêmeos siameses e fazer cirurgia no cérebro para controlar acessos.  A fundação de bolsas criada por Carson ajudou 1.700 alunos durante o curso na universidade.  Sua mãe está aposentada e vive com Carson e sua família.

(tradução de uma entrevista do dr. Benjamin para a radio NPR, em 10 de Outubro de 2005)

Em algumas locadoras ainda pode ser encontrado o filme sobre sua vida  "Mãos Talentosas - a História de Ben Carson".  Também pode ser baixado da internet ou comprado na Amazon.  Ainda há 10 exemplares em estoque, hoje, por US$ 12,99.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Cristo e Dostoyevsky

Cristo na Tormenta, de Rembrandt

"Sou filho deste século, filho da incredulidade e das dúvidas, e continuarei a sê-lo até o dia da minha morte.  Mas a minha sede de fé sempre me causou uma profunda tortura.  Vez por outra, Deus envia-me momentos de calma total, e foi nesses momentos que formulei o meu credo pessoal: o de que ninguém é mais belo, profundo, compreensivo, conforme à razão, viril e perfeito  que Cristo.  Mas, além disso - e digo-o com um amor entusiasta - não pode haver nada melhor. Mais ainda: se alguém me provasse que Cristo não é a Verdade, e se se provasse que a Verdade está fora de Cristo, preferiria ficar com Cristo a ficar com a verdade".  (Fyodor Mikhaylovich Dostoyevsky) 

Encontrei esta citação no livro 'Mitologias modernas', de José Ramón Ayllon (Editora Quadrante).  As palavras do escritor russo exprimem exatamente o que penso e sinto sobre Jesus Cristo e a existência de Deus.

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Ingratidão

Blossoming Almond Tree, de Van Gogh

Nunca mais me esqueci!... Eu era criança
E em meu velho quintal, ao sol-nascente,
Plantei, com a minha mão ingênua e mansa,
Uma linda amendoeira adolescente.

Era a mais rútila e íntima esperança...
Cresceu... cresceu... e, aos poucos, suavemente,
Pendeu os ramos sobre um muro em frente
E foi frutificar na vizinhança...

Daí por diante, pela vida inteira,
Todas as grandes árvores que em minhas
Terras, num sonho esplendido semeio,

Como aquela magnífica amendoeira,
Eflorescem nas chácaras vizinhas
E vão dar frutos no pomar alheio...

(Raul de Leoni - Luz Mediterrânea)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Fim do Silêncio ou Grito Silencioso

Mais Vida